Fato é que as pessoas buscam o Coaching para melhorar, para serem a melhor pessoa e profissional que podem ser, para alcançar metas profissionais, pessoais e tantos outros objetivos. Para isso, é necessária uma jornada. Uma jornada que, claro, não acaba na última sessão de Coaching. O Coaching intensifica a jornada, clarifica “destinos” e te ajuda a se preparar para a viagem –  metaforicamente falando. Muitas vezes, o que é simples para um pode ser um enorme desafio para outro. E vice-versa. Por isso, empatia, humildade e “não julgamento” são premissas essenciais.

   Mas o que realmente transforma? O que realmente é necessário, além da mudança comportamental, estar disposto num processo de Coaching? Reinventar-se! É mais ou menos essa a história do Fábio Martins. Hoje, vou compartilhar com vocês as palavras que ele me disse em nosso último encontro.

O que te trouxe à Effecta? O que te fez procurar o Coaching?

      No início, eu nem sabia o que era Coaching. Porém, durante uma aula de ética, meu professor frisou muito isso. Ele tem uma vasta experiência e é Coach, inclusive foi Coach de alguns Ministros. Achei impressionante como ele conseguiu dominar a turma, mesmo cada um com seus interesses. Como eu estava com as ideias meio “bagunçadas”, conversei com ele e ele me aconselhou a procurar por um trabalho relacionado com Coaching, porque certamente iria me ajudar. 

E numa escala de 0 a 10, o quanto o Processo efetivamente te ajudou?

      11. Certamente, me ajudou muito. De verdade! Financeira, familiar, pessoal e profissionalmente. Hoje compreendo que quando uma das áreas entra em desequilíbrio, as demais acabam prejudicadas. Como num efeito cascata.

O que mudou?

      Um dos principais pontos foi no profissional, onde eu consegui me posicionar melhor, não mais aceitar as coisas como eram, inspirar as pessoas a fazer diferente, ter mais argumentação. A parte financeira consegui “colocar o trem nos trilhos” e ter as coisas mais claras neste campo. Eu pensava muito pouco no meu futuro, então o Coaching aumentou muito minha visão de futuro e me ajudou a pensar mais sobre meus desejos e a me planejar melhor. Minha autoconfiança aumentou muito! E no campo familiar, desenvolvi uma empatia muito grande, a ponto de conseguir enxergar o outro lado, o que esperavam de mim e que eu tinha de aumentar minha dedicação. A vida não é só trabalhar, trabalhar, trabalhar. É preciso saber onde se quer chegar. Ter um propósito claro! 

Você indicaria o Processo de Coaching para alguém?

      Eu falo o tempo inteiro! (risos). Indico e recomendo! Quando cheguei aqui, vim despretensioso, sem saber muito o que esperar. Com o passar das sessões, comecei a colocar muita coisa em prática, mesmo que inconscientemente, e a enxergar os resultados. Não indico simplesmente “porque eu fiz é bom”. Mas sim porque eu fiz, mudei e enxerguei as mudanças. Não é somente falar. As pessoas viram as mudanças em mim. 

      Claro que o Coaching por si só não resolve tudo. Em sua jornada, Fábio buscou desenvolver algumas outras competências que identificou como necessidade durante o processo. Como, por exemplo, o Empretrec, curso de Contabilidade Gerencial, Administração de Produção, curso de Vendas e não pretende parar por aí.

“Hoje consigo enxergar mais claramente meus pontos de melhoria e o que preciso fazer e buscar para melhorar e me desenvolver, e não ficar à mercê do que os outros dizem ou não dizem.” 

      Eu aprendo muito com cada Coachee! Aprendo o quanto o ser humano é complexo e simples ao mesmo tempo. Entendo que cada um tem sua história, sua bagagem, suas crenças e valores. E acredito que quando se tem um propósito bem claro e o caminho bem traçado, não há o que segure! O sucesso e a felicidade são resultados certos.

        Obrigada, Fábio! Obrigada por confiar, por se entregar e por se reinventar!

Deixe uma resposta